Airbnb de experiência

 

Se a pandemia de 2020 tem, de fato, reinventado a forma como vivemos em nossa própria casa, está cada vez mais claro que a forma como encaramos nossas viagens também está em transformação. “Nós sabíamos que havia um certo movimento de operadores de airbnb’s que já estavam pensando em suas propriedades com conceitos diferentes como atrativos, especialmente no exterior”, conta Ilan Vasserman, um dos fundadores da Zissou. “Mas durante a pandemia começamos a perceber que isso ganhava corpo no também no Brasil. E mais do que isso, muita gente se questionando a respeito de se hospedar em hotéis comuns e preferindo refúgios em lugares isolados. E alguns operadores respondendo a isso com lugares mais exóticos, com conceitos diferentes, e que valorizem a importância do sono como parte da experiência.”

 

Ale Lopes foi um desses proprietários que procuraram a Zissou justamente no período de pandemia. Ele está dando os últimos retoques em um seu chalé em forma de domo geodésico (inspirado nas criações do designer americano Buckminster Fuller) instalado na Serra da Mantiqueira, especialmente planejado para meditação e relaxamento. “Experiência é a maior tendência de viagem de turismo”, diz Lopes. “As pessoas estão, cada vez mais, viajando para criar memórias inesquecíveis. Por isso, estamos criando uma acomodação única no Brasil, imersa na natureza, onde o visitante possa acender uma fogueira ou relaxar numa rede. Ou seja, unir a conexão com o local sem abrir mão do conforto.” O Domo faz parte do Clube do Mato, um conceito maior que mescla agrofloresta, construções exóticas com a beleza da Mantiqueira.

 

Airbnb de experiência

 

Já Bruno Paschoal conta que descobriu o conceito de “design de experiências” durante uma estadia de quatro anos em Berlim, na Alemanha. Quando Bruno e a esposa voltaram ao Brasil, se mudaram para a Fazenda Santa Esther, em Amparo, interior de São Paulo. “Fizemos diversos sprints de trabalho e fomos ganhando know-how de como criar experiências únicas, que não podem ser encontradas na maior parte dos outros hotéis e fazendas por aí. Criar um diferencial para que o espaço fosse além da instalação ou da infraestrutura. Com a pandemia, suspendemos os eventos e pensamos em como transportar esse conceito para focar na acomodação e hóspedes que estejam buscando uma vivência inusitada.”

 

Além da capela na fazenda Santa Esther e do Domo na Serra da Mantiqueira, a Zissou foi procurada para uma parceria com a Casa Vista, um refúgio que funde arte, design e natureza em Extrema, Minas Gerais. O conceito da Casa Vista é ser, ela própria uma instalação artística permanente, e ainda servir de espaço para desconexão. “Essas três conversas iniciais eram propostas muito diferentes, mas tinham algo em comum: todas se importavam com o papel da qualidade do sono em uma estadia diferente”, diz Vasserman. A partir dessas propostas iniciais, a Zissou abriu a discussão sobre como potencializar a experiência do sono e se aprofundar no ambiente do quarto. À medida que novos airbnb ‘s começaram a procurar a marca especializada em sono, a Zissou começou a coletar informações para um estudo mais amplo a respeito do significado de um “quarto dos sonhos”. O estudo deve ser divulgado em 2021.

 

“Para nós, um ‘quarto dos sonhos’ é aquele que consiga oferecer o melhor descanso possível no momento mais importante do dia-a-dia, que é quando estamos recarregando nossas baterias”, diz Guilherme Torniero, responsável pela Casa Vista. Buscamos um ambiente que pudesse acalmar, desconectar depois do cansaço do dia, que tivesse somente o essencial: uma luminária, uma cama baixa de madeira, um bom colchão e nada mais que nos distraísse. O quarto é o que nos conecta com nossa essência, que nos renova para criar e viver a vida.”

 

Para Vasserman, o “quarto dos sonhos”, tanto em uma hospedagem quando em uma residência, partem dos mesmos fundamentos: “O silêncio, o blackout, a temperatura, a forma como a luz vai entrar pela manhã e, claro, a qualidade do colchão, do travesseiro, do edredom”. O que diferencia os ambientes, claro, é sua própria natureza:

 

“O sono é mais orgânico quando estamos em um ambiente familiar. Durante uma viagem nosso organismo dispensa um nível de atenção maior e é preciso ‘forçar’ uma quebra de ansiedade”.

 

Foi exatamente por conta de sua autoridade em assuntos relativos ao sono e à desconexão que Santa Martha, o Clube do Mato e a Casa Vista buscaram a Zissou. “Chegamos muito rápido a eles”, diz Ale Lopes. “Porque era claro que queríamos que nossos hóspedes tivessem a melhor experiência de sono, com uma suíte incrível com um colchão legal, porque criamos todo o ambiente do Domo em torno da cama. Ficou muito claro logo que começamos a pesquisar qual era a melhor marca de colchões e travesseiros”.

 

Airbnb de experiência

 

Torniero conta que a aproximação se deu porque, no projeto da Casa Vista, “todos os nossos parceiros foram escolhidos a dedo”: “Seja quem fabrica os móveis ou quem produz o colchão ou a roupa de cama, precisam pensar na experiência que ofereça algo diferente do que nosso hóspede vive fora dali.”

 

Assim, a partir deste verão, quem passar por esses refúgios em busca de uma experiência inesquecível vai entrar em contato com a linha de produtos de sono da Zissou. “Quando decidimos reformar também a segunda capela, a ‘capelinha’, sabíamos que precisaríamos colocar dentro daqueles 30m2 tudo o que fosse importante para proporcionar essa experiência”, diz Bruno. “E não poderia faltar um colchão superconfortável que tivesse o espírito da casa. Que atendesse as necessidades de quem quer descansar, namorar ou até trabalhar vivendo uma experiência inesquecível”.

 

Matéria escrita por Ricardo Alexandre

Para conferir a matéria original, clique aqui: Proprietários de airbnb's buscam Zissou para levar o "design de experiência" para dentro do quarto